A mesma história. Até quando?

Sabe aquela história que todo mundo conhece o fim? Como uma piada de português na qual o lusitano acaba se dando mal? Pois esse foi o desfecho do roteiro totalmente sem graça envolvendo a Fiat, o Stilo e o DPDC, Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor.

Toda e qualquer pessoa com um mínimo de antecedente na área conhecia o final dessa história: a Fiat seria condenada e teria de fazer um recall do Stilo. O único elemento surpresa seria uma forte pressão lobista (lobby não é crime) da montadora em Brasília para que a investigação fosse conduzida de forma mais aberta. Do jeito que foi, a Fiat foi simplesmente condenada e pronto. E não vou aqui defender os italianos: compromisso de verdade com a qualidade seria ter feito esse recall muito antes, ou mesmo feito um recall branco, trocando as peças dos Stilos em circulação.

Agora a Fiat sai com uma multa de R$ 3 milhões e a imagem arranhada, fora a desvalorização que o Stilo terá no mercado de usados – muitos deles, em especial os equipados com SkyWindow, já rodam nas mãos dos “manos”, mesmo triste fim de carros como Audi A3 ou Omega nacionais.

Este é, novamente, um caso clássico do capitalismo extra-selvagem. Uma empresa com mais consciência teria feito esse recall há muito tempo. Afinal, por mais que a engenharia da própria Fiat defenda a segurança do carro, é FATO que mais de 30 Stilos tiveram este problema, e não dá pra culpar cada motorista por uso indevido do automóvel.

Fico entristecido em ver que, mais uma vez, a remessa de lucros para os fictícios acionistas foi mais importante do que a segurança de pessoas reais. Uma pena um mundo assim.

Comentários

Paulo disse…
+ 1 comentário muito bem escrito !!
e aqui idem : Ficamos entristecidos em ver que o dinheiro está acima de vidas . . .
[até quando?]
Rafael disse…
Bem, sei que todas as montadoras tem suas falhas, mas a campeã em descaso sempre foi e sempre será a FIET, depois do Chico Science, ainda teve aquele recall do Palio que se não fosse pela 4 rodas estaria ai até hoje.
Thiago disse…
O duro é que a empresa parece não aprender a lição. O Tipo vendia igual pão quente, pegou fogo, a Fiat demorou a assumir a culpa (pior, dizendo que era culpa dos donos) e o carro, muito bom por sinal, virou mico entre os usados. Agora vem o Stilo. Depois não sabe o por quê da fama que seus produtos têm. Isso me lembra o Ford Pinto: era mais em conta pagar as indenização aos acidentados do que fazer um recall. Lamentável.
Tô na Rede! disse…
Em outra oportunidade eu até poderia ser preconceituoso e dizer: "Tinha que ser Fiat!". Mas não dessa vez. Outras montadoras estão no mesmo barco e continuam impunemente vendendo seus carros-bomba. Culpa da Fiat? Claro. Mas também, de um povo estúpido que compra qualquer porcaria que se coloca no mercado, (mesmo com problemas o Stilo não parou de vender, o mesmo ocorrendo com o Novo Gol etc, etc, etc...), e de um governo irresponsável e omisso (alguém ainda tem a ilusão de que 3 milhões de reais representa muito dinheiro para a Fiat?).

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6