Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

De pernas pro ar

A Volkswagen acaba de lançar o novo Gol Rallye, que é basicamente um Gol com uns apetrechos plásticos e suspensão mais alta. Ok, tem gente que gosta, o novo Gol é um bom carro, enfim. Um Gol 1.0 sai por uns 28, 29 mil, e um Gol 1.6 sai por uns 34 mil. O preço do Gol Rallye, motor 1.6, sem ar-condicionado?

R$ 40.370

Um disparate, um absurdo, uma verdadeira falta de vergonha na cara. Não é nem preço de Fox, é quase preço de Polo. Tá louco, isso que é sede ao pote.

----

Acabo de assistir à propaganda do Etanol aditivado, lançamento inútil da Shell que só serve pra reduzir ainda mais a quantidade de bombas vendendo etanol normal (aliás, mania inútil essa de chamar álcool de etanol, mas tudo bem).

A propaganda mostra o que seria um laboratório de testes da Shell, todo bonitão e tecnológico, e um carro testando o combustível... UM ALFA ROMEO! Ok, em nenhum momento aparece o logo da Alfa, mas qualquer um que entenda o mínimo de carros reconhece o desenho maravilhoso de um.

Agora, Alfa Romeo usando…

A morte da Renault. Scénic.

Esses dias a Renault matou a Scénic. A imprensa automobilística brasileira, amadora e sem noção como é, tratou o fato como mais uma nota de rodapé, um dia como os outros. Se os jornalistas que cobrem o setor tivessem REALMENTE cultura automobilística, eles entenderiam que a coisa não foi bem assim.

A Renault inventou o conceito de minivans na Europa, com a Espace. Para o Velho Continente, a Espace tem a mesma importância da Grand Caravan para os americanos e da Nissan Praire para os japoneses: é a gênese, de onde tudo se originou.

O fato de ter sido pioneira colocou a Renault numa posição confortável, até hoje, quando se fala em veículos desse tipo. A Espace é muito bem aceita na Europa, assim como a Scénic. Claro que hoje o mercado é pulverizado em diversas minivans diferentes, mas mesmo assim a Renault se mantém com força. É algo que não pode se dizer da gigante francesa em outras categorias de automóveis, como hatches médios e sedãs, nos quais ela nunca emplacou nada realmente signif…

Ahhhhhhhhhh!!!!

Chega a ser assutadora a queda na qualidade do motorista paulistano. Não que tenha sido um primor algum dia, mas está ficando impossível. Acho que muitos não percebem o quanto suas ações contribuem para a lerdeza do tráfego. E aí depois, quando estão parados no congestionamento, reclamam que está tudo parado. Culpa deles mesmos.

A demora em perceber que um sinal abriu, por exemplo. O sujeito está lá prestando atenção nas unhas do pé e os coitados atrás dele, ou dela, que têm horário para chegar em seus compromissos, são penalizados. Existem ainda os medrosos da velocidade, que começam a movimentar o carro com tal lerdeza que é preferível ficar atrás de um caminhão carregado de tijolos e sem motor. Aceleração de 0 a 40 km/h em 20 minutos.

Mas o pior de tudo, de tudo mesmo, é que existe hoje um esquecimento geral da regra da hierarquia das pistas. Quanto mais à esquerda é a faixa, maior a velocidade que deve ser desenvolvida nela. E isso não é valido somente para grandes avenidas, mas qua…

Renegando a história

Imagem é um negócio muito forte. Vejam o post do Flavio Gomes, super jornalista do setor automobilístico e fã de carros antigos:

Meus amigos doistempistas da Europa já colocaram um videozinho do 37º encontro anual do Auto Union Veteranen, que em 2010 aconteceu na Holanda. Mais de 200 carros e motos, é uma maravilha indescritível. Estive num desses dois anos atrás. E vejam o F12 a 130 km/h! É fraco, o cara? Ah, é bom lembrar que a Audi, lá, participa ativamente do encontro. Aqui, em 2008, se não me engano, consegui algum apoio da Audi do Brasil para nosso encontro de Caxambu, o Blue Cloud. Mas desconfio que nunca mais. Pelo que tenho visto, as prioridades da marca no Brasil são outras. A estratégia inclui aparições frequentes em “Caras”, jogos de pólo, feiras de iates e colunas sociais eletrônicas. Um verdadeiro pé-no-saco, querendo transformar qualquer Audi em carro de mauricinho e patricinha. Por isso não vende nada.

Qualquer marqueteiro tem na ponta da língua a explicação para a postu…