Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2005

Peugeot 307 Rallye 2.0 16v automático

Chegou a hora de falar do carro que mais me impressionou em Campos do Jordão. Peugeot 307. De uma maneira geral, o segmento dos carros médios no Brasil, compactos na Europa, vem passando por uma revolução desde o lançamento da quarta geração do VW Golf na Alemanha. Essa geração foi a responsável por consolidar uma transição de tecnologia e conforto dos carros maiores (no caso, Passat) para este segmento. O que o Golf de terceira geração e e o próprio Astra belga ensaiaram fazer consolidou-se em 1999. Esta geração do VW Golf trouxe novos parâmetros de beleza, durabilidade, dirigibilidade e – o mais gritante – acabamento interno. Dessa geração de carros da Volks, quem entrou em um Golf 1.6 1999 não está muito longe de um Passat moderno.

O segmento inteiro foi obrigado a seguir os passos do Golf. O Astra teve o azar de ser lançado ao mesmo tempo que o Golf na Europa e ainda ter ficado de fora desse barco. O Focus foi o primeiro concorrente do Golf digno de nota; se não igualava o acabamen…

Gol contra

Imagem
A Volkswagen acaba de matar o Gol. Fox, sede bem-vindo.

Pelo menos foi a impressão que ficou pra mim, vendo as fotos publicadas pelo Carsale hoje. O trabalho externo até que foi bem resolvido, mas internamente... O excesso de plásticos é o mesmo, mas o que antes o Gol conseguia disfarçar, e bem, agora está aparente. A adaptação dos vidros elétricos nas portas está exatamente como parece: uma adaptação. E o painel igual o do Fox é a pior notícia de todas. Troca-se um painel completo e com iluminação azul, tal qual Golf e Passat por um cuja referência é o outro modelo barato. Não tem apelo de novidade, não tem apelo de elegância, nem mesmo praticidade, já que esse painel é horrível.

Que a Ford ocupe o 3º lugar em vendas, e logo.

Fiat Palio HLX 1.4 Flex

O segundo carro que eu guiei em Campos, e o último do primeiro dia. A Fiat tinha poucas opções de teste: Stilo Schumacher, que além de não diferir em quase nada do Stilo que já dirigi, tinha uma fila enorme; Marea 1.6, que com certeza ia deixar uma impressão apagada após eu ter dirigido um Focus Duratec; Doblò 1.8, que dispensa comentários, e o Palio 1.4 Flex, minha escolha.

O carro que dirigi era um daqueles que só existem para testes e análises da imprensa. Tinha até retrovisor interno fotocrômico que, na minha opinião, é muito interessante. Aliás, esse espelho, assim como os side bags, são um ótimo exemplo do que aconteceu com a linha Palio. O carro evoluiu em espaço, em design, avançou muito em equipamentos e... perdeu em dirigibilidade. Conteúdo mecânico, so to speak. A suspensão ficou muito mole, o freio ainda sofre daquele mal binário (ou trava ou não freia, embora não tanto quanto a geração intermediária), a carroceria rola nas curvas. Pois é, o Palio parece um Town Car compact…

Ford Focus Hatch Ghia 2.0 16v Duratec

Chegou aquele momento tão esperado do ano de ir até Campos do Jordão fazer os test-drives em um monte de carros diferentes e vir aqui contar tudo. Este ano foram vários: um Ford, um Fiat, dois Hondas, um Peugeot e um Toyota. Os modelos revelo aos poucos! Vou fazer as análises pela ordem que testei os carros:

Ford Focus Hatch Ghia 2.0 16v Duratec

Eu conheço MUITO bem o Focus. Portanto, a ansiedade para fazer este teste se devia mais ao novo motor do que qualquer outra coisa. Aliás, méritos aqui para o atendimento no estande da Ford: rápido, cordial e eficiente - mal cheguei e já pude fazer o teste.

Vamos falar logo do que interessa: o carro é um canhão. Desde que dirigi o Marea de 160 cv um carro não me impressionava tanto pela potência. O carro entrega muito torque em qualquer faixa de rotação e não deixa mais a sensação de “buracos” nas trocas de marcha como acontecia com os outros motores. Em altos giros, então, o motor se revela e empurra o carro como se ele fosse de papel. Tudo isso …