Postagens

Mostrando postagens de 2015

Teste: Toyota Corolla GLi Upper 1.8

Imagem
Ah, o Corolla. Motorização sem emoção, sem complicação, sem nada. Arroz, feijão, bife e salada. Empatar em zero a zero. Chupar bala com papel.
Até a Toyota tem ficado incomodada com esses comentários. Mas como mudar a imagem de um carro quando é justamente essa imagem um fortíssimo argumento de vendas, que torna o Corolla um dos carros mais vendidos do mundo?
Aliás, é interessante notar como o Civic, mesmo nas gerações mais sem graça, sempre aparece numa versão tunada, apimentada, enquanto o Corolla passa ileso pelos fãs de JDM.
A julgar pela geração atual, a estratégia dos japoneses foi atualizar o design, e não mexer no resto. Quem sabe conquistamos compradores pelo visual e não afastamos os fãs ao manter a parte mecânica intacta.
No visual, acertaram. Não há como achar feio. Poderia ser mais ousado por exemplo na visão lateral, ou ter um pouco da suavidade nos traços que caracterizam a bela escola italiana, mas do jeito que está ficou muito bom. É contemporâneo, distinto, até classudo…

Não é assim que funciona

Em julho:"Agora é a hora de comprar seu Toyota! Corolla GLi por apenas 79.450!"
Em agosto: "Na Toyota não tem desgosto! Mega promoção! Corolla GLi por apenas 79.450!"
Em setembro: "É a sua independência do carro básico! Inacreditável: Corolla GLi por apenas 79.450!"
Em outubro: "Nem Nossa Senhora Aparecida faz igual! Corolla GLi por apenas 79.450!"
Em novembro: "Mega ultra promoção master blaster! O gerente ficou maluco! Não vamos perder negócio! Você nunca viu carros a esse preço! Tá demais, tá incrível, tá impressionante! Agora você sai de carro zero, não tem como, o preço caiu a valer! Corolla GLi por apenas 79.450!"
Ganha um picolé de limão quem acertar o preço do Corolla GLi em dezembro. E tem gente que ainda cai no conto do "só hoje"...

Rumo ao abismo

A Peugeot acaba de iniciar as vendas do “novo” Peugeot 308, em breve seguido pelo 408. O “novo” vem entre aspas pois o carro é o mesmo, tendo sofrido ligeiras atualizações na dianteira e no painel – o resto permanece intocado.
Na Europa já existe um novo 308, esse novo de verdade e portanto sem as aspas, mais moderno, mais bonito, e mais seguro.
A história é muito semelhante à do 206,5, chamado pela Peugeot de 207, que foi na verdade o velho e bom 206 submetido a um plástica horrorosa que não o deixou bem parecido com o 207 europeu, nem com o belo 206 ao qual sucedeu. E, claro, o 207 foi um fracasso de público e crítica. Aí a Peugeot faz DE NOVO A MESMA COISA!
Quer dizer, se aconteceu alguma recuperação de imagem com o bom 208, ela já foi pro buraco com essa falta de compromisso com o consumidor brasileiro. E que não me venham com a palhaçada de “custos de produção” que tá cheio de carro aí sendo produzido tal e qual na Europa sem essa argumentação falaciosa.
Mas nem adianta falar né? As …

Um viva ao A3 nacional!

As mudanças efetuadas pela Audi no A3 Sedan 1.4 nacional (veja o teste do 1.8 importado aqui) têm dividido opiniões. Aliás dividido talvez não seja a melhor palavra; a simplificação tem apanhado bastante na imprensa e ainda mais nos comentários. Nesta selva surge uma voz em defesa da Audi: o M4R. E não, não somos subornados com “Audi Day” nem nada disso – é nossa opinião mesmo.
As alterações envolvidas nesta polêmica são três:
1. O aumento da potência e torque do motor, agora flexível em combustível: o salto foi de 122 cv a 5000 rpm para 150 cv a 4500 rpm, e o torque de 20,4 m.kgf a 1400 rpm para 25,5 m.kgf a 1500 rpm. Em termos de desempenho, segundo os números oficiais, a melhora foi discreta: o 0-100 baixou de 9,4 para 8,8s e a velocidade máxima subiu de 212 para 215 km/h.
2. A troca do câmbio de dupla embreagem a seco e sete marchas S-Tronic pelo automático convencional de seis marchas originado da japonesa Aisin. É o mesmo câmbio da Tiguan, do Jetta flex e mesmo do Bora. 3. A troca …

Teste: Jeep Renegade Sport 1.8 flex automático

Imagem
Após bons meses de braçadas, o HR-V (relembre nosso teste aqui) finalmente precisa suar a camisa para manter-se à frente em vendas diante do crescimento lento porém inegável do Renegade.
Acreditamos que esta convergência tem dois fatores: o primeiro, mais importante, é que o HR-V vende tantos quantos a Honda conseguir produzir, algo que hoje está na faixa de 5 mil por mês. Ano que vem, com a nova fábrica da Honda funcionando, a coisa vai mudar de figura. O segundo fator foi a lenta aceitação da Jeep como marca “acessível” e do Renegade como opção ao HR-V. O nome Honda não só está cristalizado com os brasileiros como ainda por cima é sinônimo de sucesso, até um certo status, de carro que não dá dor de cabeça, então quando isso se juntou a um carro desejável o que vimos foram vendas aos borbotões – o sucesso do HR-V hoje é comparável ao do New Civic em seu lançamento, outro blockbuster.
Parte do aumento das vendas do Renegade explica-se, portanto, com a aceitação por parte dos brasileiros…

Teste: Volkswagen Move Up! TSI

Imagem
O Up! chamou nossa atenção desde o lançamento pela proposta altamente interessante: carroceria compacta, motor moderno, extrema economia de combustível e também prazer ao dirigir. Seria, digamos, o city-car dos que curtem dirigir.
E aí a Volks resolve apimentar ainda mais essa história oferecendo o Up! turbinado, ou Up! TSI, com um desempenho surpreendente e mantendo todas as qualidades do carro original.
Só que quando estamos com as expectativas muito altas, é fácil dar com a cara no chão. O tombo é grande. Não podemos dizer que o Up! TSi foi uma decepção, longe disso, mas fato é que não agradou como achamos que iria agradar.
Vejamos onde o TSI foi bem:
- Design. Gostamos dele, sempre achamos simpático. E tem a vantagem de ser bastante distinto dos outros compactos e também do restante da linha Volkswagen, que justamente peca pela similaridade em excesso. A nossa ver, o Up! tem cara de compacto europeu moderno, coisa chique, diferente de carros que você olha e tá na cara que só existem …

Quem quer, faz

Duas notícias:
Uma multidão se algomerou hoje, na frente das lojas do supermercado Guanabara, no Rio de Janeiro, pois a rede ofereceu até 50% de descontos nos produtos, além de sorteios de prêmios, em comemoração a seu aniversário.
A GM foi a líder em vendas na primeira quinzena de outubro, com 15.140 carros e 17,3% de participação, contra 13.783 e 15,8% da segunda colocada, a Fiat.
O que elas têm em comum? Simples. Na crise, se mantém quem sabe vender.
A GM acaba de sair – se é que saiu – de uma crise enorme, quase falência, com  socorro do governo americano. Foramk anos com produtos defasados, e os vendedores da GMB se virando para empurrar produtos inferiores à concorrência.
Conseguiram. Foram criativos em promoções, acordos, descontos, incentivos, e mantiveram a empresa rodando. Hoje, com produtos bem mais atuais, e com essa técnica de vendas, vão nadar de braçada.

Tá todo mundo tímido, faz uma promoção aqui e outra ali, morrendo de medo de perder margem de lucro, estão mergulhando a po…

Golf x Focus - versão 2015

Em 2007 fizemos um comparativo subjetivo entre Golf e Focus que foi um dos textos mais comentados do M4R. Dadas as incontáveis brigas entre os fãs desses carros nos comentários das reportagens na internet, viemos atualizar a discussão pois, tal como há oito anos, são carros que conhecemos muito bem.
Modelos considerados: - Ford Focus Hatch 2.0 Titanium Powershift - Volkswagen Golf 1.4 TSI Elegance DSG
Design: gosto pessoal. Achamos os dois muito bonitos e que essa discussão dos carros da VW serem muito parecidos é balela. Ficou incomodado que confundiram teu Golf com um Gol? Compra um Bentley, aí sim tem status de verdade. Procurar status nesses hatches é um pouco demais.
Acabamento: o Golf dá de 140 a zero. O porta-mapas das portas é revestido em veludo, coisa que o Audi A3 não tem. É tudo bem montado, de bom gosto, com acionamento suave. A versão considerada tem bancos com partes em Alcantara, que até pouco tempo atrás só se via em Ferraris. O Focus é bem feito no painel emborrachado e …