Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2012

A ordem das coisas

Acontece desde o início do M4R. Cidadão compra um carro e, todo felizão, coloca o nome do carro no Google pra ver o que a imprensa especializada acha. Aí, dependendo do modelo, o sujeito se depara com um link para este recanto da internet. E nem sempre as palavras do M4R são amigáveis. Acabamos de receber um caso assim no post do Vectra GT-X.

Duas coisas:

A primeira, e mais fundamental, é fazer as coisas na ordem certa. PRIMEIRO você pesquisa sobre o carro que quer comprar, e depois compra. Não adianta gastar dinheiro num veículo e depois ficar procurando especialistas pra falar bem do seu carro. Se você é apaixonado, acha o Chery Tiggo a coisa mais bonita do mundo, adora o custo-benefício e está decidido a comprá-lo, vá em frente: o dinheiro é seu. Agora, se a opinião alheia é importante, vale consultá-la ANTES da compra.

A segunda é que o M4R é um espaço opinativo. Muita gente não entende isso ainda, mal acostumada que está com a nossa imprensa especializada totalmente chapa-branca. O …

Tudo é questão de referência

Estreou a nova propaganda do Chevrolet Cobalt. O tema é "tudo é uma questão de referência". O vídeo está aqui.

No meio, o narrador pergunta: "e agora, o seu carro? É espaçoso, completão?".

Não sei, senhor narrador. Mas após ver o Cobalt, ele ficou muito mais bonito.

Motolândia

A capa do caderno mercado da Folha de S. Paulo de hoje fala do aumento dos casos de invalidez após acidentes no trânsito, que catapultaram de 31 mil para 152 mil por ano entre 2005 e 2010. Mais de 70% dos acidentados usavam motos. “Há trabalhadores que só contribuíram à Previdência por cinco anos, mas que vão receber aposentadoria por invalidez o resto da vida”, destacou o secretário de Políticas de Previdência na matéria.

A grande diferença entre o trânsito de um país desenvolvido e o de um subdesenvolvido é a quantidade de motos. Não é a civilidade, não é o congestionamento, não é a idade nem a qualidade da frota. A diferença mais brutal é a quantidade de carros. É possível passar um mês em Londres e ver menos motos do que em cinco minutos na avenida Rebouças, em São Paulo.

Os motivos para essa proliferação são conhecidos: transporte público precário e elevados congestionamentos. O cidadão opta pela moto porque é barata, econômica, ágil no trânsito pesado – tudo de bom. E aí se aciden…

A liderança da Fiat

Mais um ano e a Fiat segue como a montadora que mais vendeu carros no Brasil em 2011. Aparentemente lá se vão 10 anos assim. E é difícil entender como isso acontece quando:

- O Gol é melhor que o Palio (pelo menos o Palio antigo; ainda não dirigimos o novo)
- O Gol é melhor que o Uno
- O Fiesta é melhor que o Siena
- A Saveiro é melhor que a Strada
- O Focus é melhor que o Bravo
- Andar a pé sobre brasas incandescentes é melhor do que o Linea

O que faltou? A Palio Weekend ainda é competitiva, graças à incompetência da concorrência; o mesmo para o Doblò. O Punto é genuinamente um bom produto. E o Mille é o carro mais barato do Brasil, o que tem seus méritos.

Isso é suficiente para uma marca se manter no topo?

Sobre as notícias

E a Quatro Rodas estreou neste mês uma coluna do Jeremy Clarkson. O M4R é fã do Top Gear, como dissemos várias vezes, embora não tão fãs assim do Clarkson – não dá pra entender algumas coisas como o ódio pelo Porsche 911.

JC é inglês e escreve para ingleses. A coluna dele na 4R rasga altos elogios ao Range Rover SE diesel e ao Evoque diesel. Nenhum dos dois temos por aqui. E os a gasolina são raros; não há como negar que o poder aquisitivo do cidadão médio é bem mais alto no Reino Unido do que no Brasil, o que torna estes carros bem mais comuns lá do que aqui.

E não espere ele falando de Gol e Palio. Não chegam no primeiro mundo (embora o Fox antigo, bem pior que o Gol atual, chegasse).

Será portanto uma coluna bem pouco conectada com assuntos relevantes para o Brasil, mas que de todo modo pode mostrar como um jornalista pode falar mal de carros de vez em quando. E compartilhar um humor inglês que é impagável.

Continuando nos comentários da Quatro Rodas, a matéria de capa traz um comparat…

Os eleitos de 2011 - em 2012...

Cada ano o M4R termina de um jeito. Teve ano que nem despedida teve. Em 2010, avaliamos os lançamentos do ano de acordo com os critérios que usamos em nossas avaliações. Mas em 2011 (embora neste post de 2012), vamos seguir o exemplo de 2009 e nomear o melhor carro nas determinadas faixas de preço. Sem justificativas, sem argumentos, apenas um colocado. Vejamos:

Até R$ 25 mil:
- Renault Clio Campus (por pouco esta categoria não desaparece. Os carros estão tão caros que quase nenhum se enquadra aqui, a não ser o velho Mille).

Até R$ 30 mil:
- Fiat Uno 1.4 Evo Attactive

Até R$ 35 mil:
- VW Gol 1.6

Até R$ 40 mil:
- VW Fox 1.6 / Fiat 500 Cult 1.4

Até R$ 45 mil:
- Fiat Punto 1.6 16v Essence

Até R$ 50 mil:
- Ford Fiesta 1.6 16v SE

Até R$ 55 mil
- Ford Focus Hatch GLX 1.6 ou Fiat Bravo 1.8 16v Essence

Até R$ 65 mil
- Renault Fluence 2.0 16v Dynamique automático

Até R$ 80 mil
- Toyota Corolla 2.0 16v XEi automático / Renault Fluence 2.0 16v Privilège

Até R$ 100 mil
- VW Jetta Highline 2.0T