Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2011

Fiat 500 a bom preço

Muito boa a iniciativa da Fiat de trazer o 500 do México mais barato. Tem seus riscos, claro. Quem comprou um 500 polonês e pagou R$ 65 mil deve estar meio incomodado de vê-lo sendo vendido 20 mil reais mais barato, com o respectivo impacto no mercado de usados. Dois anos atrás, não tinha como a Fiat saber que ia comprar a Chrysler, voltar ao mercado norte-americano e “ganhar” uma fábrica no México.

O 500 de entrada, com motor Fire flex 1.4 de 88 cv, sai por R$ 40 mil com air bag duplo, ABS, EBD, controle de estabilidade e tração (meio otimista num carro dessa potência, mas vá lá...), direção elétrica, ar manual, trio elétrico, computador de bordo completo, ajuste elétrico dos faróis, CD com MP3 e Hill Holder.

Um Uno 1.4 com o mesmo motor e projeto muito inferior, mais antigo, mais frágil, sem a mesma resistência à torção ou comportamento dinâmico, sem muitos equipamentos da lista acima, sai por R$ 41 mil. E não é só a Fiat: um Gol 1.6 ou Agile 1.4 saem pela mesma coisa.

Carro no Bras…

Teste comparativo: Toyota Camry 3.5 V6 x Toyota Hilux SW4 4.0 V6

Imagem
É prática comum no jornalismo automotivo comparar os carros dentro da mesma categoria. Então Gol compete com Palio, Focus com Golf, Corolla com Civic, e por aí vai. Só que a coisa não é assim tão óbvia. Se quem tem R$ 30 mil na mão para comprar um zero dificilmente consegue fugir do hatch compacto, com mais grana no bolso as opções se multiplicam. Quem tem por volta de R$ 55 mil pode escolher entre um compacto super equipado, como Polo ou o Novo Fiesta, ou um médio, como Focus e C4, e até mesmo um médio-grande em final de carreira, como o Vectra. Ainda pode ser considerada uma picape, como S10 e Ranger.

Fato é: na hora de comprar, o que decide é a grana no bolso, e não necessariamente a categoria do carro.

E, com a grana no bolso, o consumidor tem optado pelos SUVs. É só olhar em volta para perceber como as ruas estão saturadas com CR-V, RAV4, Captiva, Tiguan, Freelander, Pajeros, ASXs, Outlanders, Santa Fes, Tucsons e todo tipo de SUV que se vende por aí. Os utilitários esportivos su…

Aprenderam tudo errado

A Hyundai demorou anos para se atrever a cobrar o mesmo que a concorrência. Pudemos desfrutar de Tucson, Azera, Santa Fe e Veracruz bem mais baratos que os equivalentes de outras marcas até que a empresa se sentisse na liberdade de cobrar caro pelos seus produtos – veja o i30, com preço equivalente aos concorrentes, e o Sonata, que é ainda mais caro.

Se dizem que o aprendizado chinês será bem mais rápido que o coreano, ao menos em política de preços ele já é. Após a boa pegada do J3, a JAC já chutou o balde e botou a minivan J6 no mesmo preço da concorrência.

Pelo visto, aquele sonho nosso de ver os chineses barateando os preços dos carros e forçando uma concorrência agressiva já foi pro beleléu.