Golf x Focus - versão 2015

Em 2007 fizemos um comparativo subjetivo entre Golf e Focus que foi um dos textos mais comentados do M4R. Dadas as incontáveis brigas entre os fãs desses carros nos comentários das reportagens na internet, viemos atualizar a discussão pois, tal como há oito anos, são carros que conhecemos muito bem.

Modelos considerados:
- Ford Focus Hatch 2.0 Titanium Powershift
- Volkswagen Golf 1.4 TSI Elegance DSG

Design: gosto pessoal. Achamos os dois muito bonitos e que essa discussão dos carros da VW serem muito parecidos é balela. Ficou incomodado que confundiram teu Golf com um Gol? Compra um Bentley, aí sim tem status de verdade. Procurar status nesses hatches é um pouco demais.

Acabamento: o Golf dá de 140 a zero. O porta-mapas das portas é revestido em veludo, coisa que o Audi A3 não tem. É tudo bem montado, de bom gosto, com acionamento suave. A versão considerada tem bancos com partes em Alcantara, que até pouco tempo atrás só se via em Ferraris. O Focus é bem feito no painel emborrachado e no couro dos bancos e do volante, mas os painéis de porta e a moldura cinza ao redor do ar-condicionado e do console central estão mais para Ka do que Focus.

Posição de Dirigir: ligeira vantagem para o Golf por um único motivo: o banco é melhor. O banco do Focus cansa após longas viagens, o do Golf não. Ambos têm regulagens diversas como altura e profundidade do volante, altura do banco, lombar, elétricas no banco do Focus e manuais no Golf. A pega dos volantes e dos pedais é excelente em ambos.

Instrumentos: Focus é melhor. Pois a combinação das telas coloridas de alta definição no painel e no cluster dá show. A central com 8 polegadas é quase um tablet, o GPS fica show, tudo com fácil visualização. A do cluster permite acompanhar as variáveis como consumo instantâneo, média, distância percorrida e autonomia ao mesmo tempo, fantástico. O painel do Golf é bom, e a leitura dos instrumentos analógicos é melhor, porém ambas as telas não têm os mesmos recursos. Um senão vai para a tela do Golf que tem o “modo de aproximação”. Quando você chega com a mão perto, aparecem comandos que estavam escondidos. Maior bobagem, você tá lá olhando pra tela há dez minutos pensando como passar para a música seguinte e aí quando aproxima a mão aparece o comando? Não faz sentido.

Itens de conveniência: Focus é melhor, por boa margem. Só o Focus tem assistente de estacionamento, assistente de frenagem de emergência, faróis de xenônio, câmera de ré, ajuste elétrico do banco do motorista, duas entradas USB e luzes diurnas em LED. O Golf tem teto panorâmico (no M4R preferimos o tradicional do Focus). Isto posto, ambos são bastante equipados.

Espaço interno: Dá Golf. Não que seja referência em espaço, mas é impressionante o aperto do banco de trás do Focus. Daquelas coisas que não dá pra entender como foram aprovadas na engenharia.

Porta-malas: mesma coisa.

Motor e desempenho: Golf, sem dúvida. Nego pode falar o que quiser sobre números, 0 a 100 e o escambau, fato é que na vida real o Golf anda muito mais pois tem potência útil, ou seja, torque em baixa rotação. Qualquer redução de marcha já coloca o Golf na faixa de torque máximo e aí vem aquela pancada bacana na nuca. Exigir potência no Focus exige uma redução de às vezes duas marchas, portanto demorada, aí aquela esgoelada de motor até 6 mil rpm. O Focus anda muito, e anda fácil, mas realmente comparar aspirados com turbos hoje em dia fica complicado. E esqueça esses alegados 140 cv do Golf, na vida real tem muito mais.

Câmbio: Golf, de longe. Já falamos aqui. Convivendo no dia-a-dia, o pior é a sensação que o Powershift é frágil e vai quebrar a qualquer momento. O DSG não passa essa impressão.

Freios: Empate.

Suspensão: Focus, de longe. O Golf é duro, um tanto desconfortável, “quica” no asfalto irregular. Típico VW. O Focus continua sendo a referência, o primor na calibração de suspensão. É comum estar numa estrada, curtindo o conforto, e aí ao entrar numa curva forte o motorista tira o pé instintivamente pois acha que não vai fazer. Não precisa: o Focus muda de comportamento e faz a curva como um esportivo.

Estabilidade: o motorista se caga antes de qualquer um deles ameaçar escorregar.

Segurança passiva: ambos são bem equipados e resolvidos.

Consumo: o Focus não é beberrão. Vida real, conseguimos 15 km/l na estrada com gasolina, usando ar-condicionado e andando acima de 110 km/h. Na cidade, com etanol, por volta de 7 km/l. E o Golf é ainda mais econômico, conseguindo médias superiores a 9 km/l de gasolina na cidade. A nosso ver, toda essa discussão de economia é furada, quer economizar compra um Up turbo, tá pagando 100 mil no carro e vai discutir quilômetros por litro?

Custo de manutenção: agora que a VW tabelou as revisões a coisa melhorou bastante. Mas a vitória é do Focus, simplesmente pela postura completamente sem sentido de revisões a cada seis meses como impostas pela Volks. Já passou muito da hora de acbarem com isso. Pelo que demorou tabelarem as revisões, imagino o tamanho do lobby das concessionárias. Uma pena, vão perder vendas por causa desses incompetentes. Custo de seguro do Golf não é exorbitante, porém o do Focus é pouca coisa menor.

No uso, ambos deram problemas nas centrais multimídias, no Golf apagando a tela e no Focus não respondendo aos comandos touch ou dos botões. Ambos foram resolvidos desligando o carro por algumas horas.

O uso do Focus traz dois outros inconvenientes muito irritantes: o carro esterça pouco; e a frente raspa com absurda facilidade. Inclinou um pouco a rampa, já era.



A conclusão é parecida com a de 2007, porém invertendo os carros. Hoje, compraríamos o Golf. Mas entendemos quem prefere o Focus.

Comentários

Anônimo disse…
Esse comparativo muda ao considerar a versão brasileira do novo Golf, com câmbio automático comum e suspensão de eixo de torção?

Excelente blog.

Abs
Dubstyle disse…
Quanto à suspensão, é difícil dizer sem ter experimentado o carro. O Golf 4 tinha uma excelente calibração, por exemplo. O que podemos adiantar é que o Focus já é melhor que o Golf nesse aspecto, então o VW deve ficar um pouco mais para trás.

Quanto ao câmbio, se tomarmos o Aisin de 6 marchas do Bora / Tiguan como referência, é bem provável que ainda continue melhor que o Focus. Não terá o brilho do DSG, mas também vai acabar com a lentidão ao acelerar a partir de "quase parado" como já relatamos aqui. E é um câmbio bem robusto.
Dubstyle disse…
E obrigado pelos elogios.
Marcelo disse…
Parabéns. Enfim um comparativo imparcial sobre esses dois hatches.

Eu tenho um Golf igual ao que você considerou, Highline Elegance DSG com teto.

E concordo principalmente com o item suspensão. Há muito que reclamo da dureza da suspensão do Golf em outros blogs. Venho de um Focus 2012 para o Golf e a diferença é gritante. O Focus é um carro muito estável, mas não penaliza o conforto por isso. E esse modelo novo é ainda melhor.

Com relação à manutenção, uma observação: pra quem, como eu, roda perto dos 2.000 km/mês, as revisões a cada seis ou doze meses não fazem diferença e, nesse caso específico, o Golf sai bem mais barato. Isso era algo que eu não gostava no Focus. As revisões eram sempre caras.

Com relação a motor, realmente um tesão esse TSi 1.4. Tenho um Omega 4.1 que nem de longe me dá o mesmo prazer que esse motorzinho do Golf. É uma patada em cima da outra e se quiser andar mais rápido um pouco é ainda mais gostoso. Delicioso. E o DSG é uma obra de arte em forma de câmbio.

abraço,
Marcelo Schwan
Anônimo disse…
Olá, muito bom o comparativo! Apenas uma dúvida que fiquei com a pulga atrás da orelha.

Estou quase para comprar um focus e achei interessante seu comentário acerca do desconforto com o banco do motorista, aspecto que não me lembro de ter visto em nenhum lugar ao testar o modelo.

Ao testar o Focus, mesmo podendo regular o apoio lombar o desconforto continua ou é possível melhorar? Como viajo bastante, apesar do carro ter ótimas qualidades, esse aspecto fará diferença para mim!

Obrigado e abs!
Dubstyle disse…
Anônimo, desconforto é algo muito pessoal e varia de pessoa para pessoa. Se você testou e não se incomodou, vá em frente e bons km com a compra!
Anônimo disse…
Agradeço pela atenção! A propósito, meu primo está muito curioso sobre o Sandero RS, vocês pretendem analisar este modelo? Abs
Dubstyle disse…
De nada! Sim, queremos analisar o Sandero RS, mas não temos previsão de conseguir o carro.
Anônimo disse…
Muito obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6