Dupla dinâmica

Tá quente a briga entre Gol NF (o novo Gol, ou Gol 5) e o Palio. Aparentemente, o Palio ganhará a frente nova, que já temos no Siena, enquanto o Gol vem com um novo desenho corporativo VW, inspirado no utilitário esportivo Tiguan - e que só mostra que a balela utilizada pela VW na apresentação do Golf 4,5, quando disse que o carro antecipava a nova frente da marca, era mesmo bullshitagem da grossa.

Parece claro que a VW entendeu o recado do mercado que colocou o Palio muito próximo do Gol em termos de vendas e que obrigou a mesma VW a manter o interior do Gol G3 nos países vizinhos, ao menos em alguns modelos. O interior não será ultra-simples como o do Gol hoje, embora não possa melhorar muito. A VW embolou o meio de campo com seus compactos, e agora Gol, Fox e Polo dividem a faixa de 25 a 50 mil – é muito carro para pouco preço. O Polo não pode encarecer, visto que o Punto é no mínimo uma compra tão interessante quanto, e trabalha na mesma faixa de preço. O Fox é o queridinho dos centros urbanos, embora deva sofrer um abaldo devido à má reputação do banco corta-dedos. Este carro deve ter o interior melhorado, permitindo um Gol também mais interessante internamente.

Grosso modo, a Fiat também embola estas faixas de preço, pois é preciso considerar o Palio Fire uma entidade diferente dos Palios de linha. No entanto, na Fiat, a graduação entre um e outro é mais suave: o Palio intermediário teve de inclusive perder alguns atributos para dar espaço ao Punto. Ali é claro que o Palio Fire é carro de entrada, depois vem o Palio “normal”, possivelmente o mais prejudicado com esse arranjo, e depois o Punto já claramente colocado como compacto premium.

Na família Gol, a ausência de diferenças no desenho entre o Gol básico e os intermediários favorece o primeiro, embora a família interia seja prejudicada pela existência de todo um degrau, o Fox, entre Gol e Polo.

O que as precificações e estruturas internas deixam ver é que voltaremos a ter carros atualizados com o resto do mundo, mas pagaremos caro por isso. O Focus deve ser o primeiro exemplo, ao vir apenas nas versões mais caras, acima de 55 mil. Stilo e Golf já são posicionados nesse preço, e é ali que devem abrir caminho para o Golf Mk6, ainda a ser lançado na Europa, e o Bravo, que deve aportar por estas bandas em 2010. Esta subida de preços dará mais espaço para Punto e Polo respirarem, enquanto Palio e Gol degladiam-se em várias versões.

A VW teoricamente sai em vantagem por usar um projeto novo. Uma plataforma excelente, a do Polo, dará origem ao novo carro, que deve justamente ter o interior bem pensado, dadas as críticas ao modelo atual. É também um passo importante para que o carro tenha um seguro mais barato. Já o Palio deve apenas assumir a cara de Siena, o que não é pouco – a reforma ficou muito interessante. O interior do Palio está bem à frente do Gol em termos de qualidade, embora não em espaço. A Fiat já sofre há algum tempo com a pequena distância entre-eixos da plataforma de Palio e Siena (neste mais crítico), embora a Palio Weekend use uma maior. É necessário que os menores Fiat cresçam, para acompanhar o mercado. Estas mudanças estruturais tomam algum tempo, criando um ótimo cenário para a VW reagir com o novo Gol. Resta saber se a Volks não fará as porcarias usuais e matará esta chance estratégica importante.

-------------------------------------

Post de número 250. Nunca imaginei que chegaria aqui, obrigado a todos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6