A trilha mais radical: SP na chuva

Três conhecidos sofreram danos em seus carros devido à chuva da madrugada de quarta para quinta-feira (20 e 21/1) em São Paulo. Carros normais, hatches e sedãs.

Não vou me alongar aqui falando do descaso do poder público, da impermeabilização excessiva, do aquecimento global, do El Niño, etc. Mas sim do reflexo disso no universo automobilístico: o crescimento nas vendas de SUVs.

Faz sentido; SUVs são mais altos, calçam rodas maiores, muitas vezes possuem tração nas quatro rodas e estão infinitamente mais preparados para rodar nestas condições caóticas. A grande maioria dos donos de SUV, no entanto, tem dó dos seus carros, pelos quais pagaram bem caro, para colocá-los a enfrentar um alagamento. Claro que é preciso tomar cuidado: um Tucson é bem mais limitado que um Defender, e tendo em vista que alguns túneis em São Paulo ficaram com água até o teto, nem um Defender com snorkel encararia aquilo. Mas muitos pontos de alagamento podem ser vencidos por um SUV. Os donos só precisam de um pouco mais de coragem.

Isto dito, uma ressalva: optemos, ao menos, pelos SUVs de verdade, altos e com tração nas 4 rodas. Um Pajerinho TR4, por exemplo, ou um Land Rover Freelander. Se é pra ter uma Tucson 4x2, prefiro um sedã médio. Atolo, mas pelo menos de forma confortável.

Comentários

andré disse…
hahaha... Ótimo comentário o do final. Eu já falaria o seguinte: atolo, mas não num xing ling coreano. RUINDAI, sai pra lá!
Anônimo disse…
...e no final de jan de 2010, já se fala em aumento dos valores de seguros, por conta de um aumento nos atendimentos a veiculos que "entraram" nos alagamentos....

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática