Neblina nos olhos dos outros...

Já faz algum tempo que é moda rodar com as lanternas e os faróis de neblina acesos. Eu nunca entendi o motivo; alguns defendem que assim o carro fica mais bonito, e outros querem apenas mostrar que o carro é equipado com essas luzes.

Eu acho tudo uma bobagem sem tamanho. O farol de neblina é de curto alcance e ilumina somente a parte mais próxima ao carro, não devendo ser usado como fonte principal de iluminação de jeito nenhum. Alguns muito espertos desregulam esses faróis apontando-os para cima, com ganho em alcance luminoso e cegando todos os outros motoristas em volta. Esses aí deveriam ser jogados do abismo.

O Brasil não é um país de neblina. Claro que a temos, em especial nas regiões mais frias, mas está longe de ter a frequência de cidades como Londres, na qual a neblina, ou fog, já é uma instituição. A importância desse equipamento por aqui, assim, é reduzida e os faróis com essa finalidade passam por muito tempo sem uso.

Talvez sabendo da importância que esses irresponsáveis que rodam com as lanternas e os faróis de neblina dão ao equipamento, talvez sabendo que o item não faz tanta falta no nosso país, ou fazendo uma mistura dos dois, é curioso notar como diversos fabricantes têm tratado o item.

No Palio, por exemplo, é de série, com exceção da versão Fire, assim como no Siena e na Palio Weekend. Já em carros bem mais caros, como Corolla e Civic, os faróis não estão disponíveis nas versões de entrada, em que pese o alto preço inicial desses automóveis.

Eu acho muito estranho um item de segurança, como é o caso, ser visto como símbolo de status e ganhar este tratamento das montadoras. É como se elas ajudassem a perpetuar a percepção errada que muita gente tem desses faróis. Um desestímulo que poderia ser adotado, por exemplo, seria uma enorme luz espia no painel para indicar que estas luzes estão acesas. O que se vê é justamente o contrário: no Polo, a única indicação de que os neblinas dianteiros estão acesos é uma luz no seletor de iluminação, que muda de vermelha para verde. Passa totalmente despercebido. Já o neblina traseiro aciona uma luz espia amarela enorme no meio no painel. Pior ainda é a linha S10 e Blazer, que obriga o acendimento de ambos os faróis, dianteiros e traseiros, ao mesmo tempo.

Vamos todos usar os faróis de neblina com consciência. E luzes baixas sempre!

Comentários

gustavo disse…
Não sei, mas nunca tive carro com esse tipo de farol. Meu próximo vai ter. E eu vou usar sempre.
Dubstyle disse…
O pior burro é aquele que não quer entender.
Fernando Nappe disse…
Salve Dub, como sempre ótimos textos.
De fato, salvas as devidas proporções, brasileiro é extremente mal educado no trânsito. Alguns exemplos que vejo com frequência:
* Não uso das setas ao mudar direção;
* Insistência em usar faróis altos (pelo menos o Palinho 'obriga' os caras a abaixar, pois tem um p*** farol!);
* Manter baixa velocidade à direita, te obrigando a ultrapassar pela esquerda;
* Mania de dirigir "colado" no carro da frente, não deixando um mínimo espaço de segurança;
* Pedestres que não usam faixas/passarelas. Por aqui relutam até em usar a calçada, adoram a rua!;

E por aí vai, se for listar tudo, vai longe.

Outra coisa que também não entendo é a mania de pressa. Aqui na minha cidade em 15~20min podemos cruza-lá de cabo-a-rabo, e mesmo assim é imenso o nro. de 'apressadões'. A saída de um farol parece uma largade de F1, é ridículo! Cidade grande tudo bem, tem trânsito pesado, não se pode marcar bobeira, mas aqui? Ah, fala sério!

Abraço e um protesto: cadê as tags nos posts? Tá devendo hein! :)
sr disse…
Pior burro é aquele que não enxerga, nem com farol de neblina.
Dubstyle disse…
Oi Fernando, obrigado pelos elogios! Estou devendo as tags mesmo.

Quanto aos seus pontos, concordo com todos, mas a direita é para manter baixa velocidade mesmo... quanto mais à esquerda, mais rápida é a pista. Embora muita gente insista em desfilar na faixa da esquerda de forma extremamente lenta...
Fernando Nappe disse…
Salve, DUB.

Putz que vergonha que eu passei agora. Eu devo ter pensado uma coisa e escrito outra, só pode! É como vc disse: devagar, fique a direita. E eu quis mesmo me referir aos "bonitões" que andam a 30 km/h na faixa da ESQUERDA.

Abraço e obrigado pela correção do meu fora.
Fla3D disse…
Parabéns pelo post, faltou só citar o caso mais absurdo, aqueles que colocam xenon no farol de neblina e ficam andando com eles acesos o dia inteiro...
Lucas disse…
Eu já acho que pior que burro é ignorante. Se o cara quer usar, desde que não atrapalhe ninguém é problema dele apenas (Gustavo no primeiro post).

Durante a noite eu ando com o farolete e neblina (dianteiro apenas) ligados porque acho bonito e não atrapalha ninguém. Não sei as ruas que vc anda, mas nas que eu ando a iluminação pública já ilumina bem e a luz de neblina da conta do resto.

Em alguns carros não vejo graça nesse esquema (neblina + farolete), como na hilux, que só uso mesmo o farol. Mas no Polo já ando como falei no inicio.

A questão dos desregulados realmente é irritante, mas isso vale pra qualquer farol (neblina ou não, xenon ou não).

Enfim, acho desnecessário o apelo pessoal ao desgosto de quem utiliza o farol original, sem prejudicar outrem.
Marcos disse…
O meu carro possui os faróis de neblina e eu utilizo durante o dia por uma questão de segurança: dá mais visibilidade ao veículo.
Ulisses disse…
Na europa você pode ser multado por utilizar esse tipo de luz (farol de neblina) em um lugar onde não há neblina.
Anônimo disse…
Auto Esporte - Faróis de Neblina, de Milha e Auxiliares

http://www.youtube.com/watch?v=hVTfnfHSQpA


Uso errado de faróis é grande praga do asfalto brasileiro

Alexandre Garcia: Sem conhecimento, o carro vira arma, que no Brasil mata mais de 200 por dia.

Uma revista especializada de Lisboa fez reportagem de capa mostrando que a maior praga do asfalto português é o uso errado dos faróis de neblina, ou de milha, ou auxiliares.

Essa também é a grande praga do asfalto brasileiro. Trata-se de um tipo de farol que não serve para ver, mas apenas para ser visto. Para identificar que há um veículo trafegando dentro de densa neblina. Ele não tem luz baixa. Tem apenas um facho, feito para ofuscar, para identificar o carro na neblina e acende um filamento a mais nas lanternas traseiras, para alertar quem vem atrás.

Se usado sem neblina, ofusca até quem estiver numa janela do sexto andar. Ofusca quem vai a frente, quem vem sentido contrário e quem vem atrás. É uma praga. Quem liga esses faróis sem neblina, certamente não faz de propósito para ofuscar os outros. O faz apenas por ignorância.

Cabe multa por usar luz alta. Mas, como conclui o comandante Celso Franco, uma das maiores autoridades no assunto, é uma infração que só pode ser flagrada com controle fotográfico, de pardal, porque o custo operacional de um fiscal se movimentar é impraticável.

O básico é o uso do farol baixo, que tem duas funções: permitir que o motorista veja; e permitir que o carro do motorista seja visto. Por isso se usa farol baixo de dia na chuva e ao amanhecer e ao anoitecer, quando o sol está no horizonte e prejudica a visão.

Quem está com farol apagado, vira fantasma, não é visto pelos outros. Por fim, luz de posição ou lanterna serve para sinalizar carro parado; não carro andando. Carro andando é sinalizado pelos faróis.

Um carro não é um secador de cabelo ou um barbeador, que apenas se liga na tomada. É preciso aprender tudo sobre ele, lendo o manual e o código de trânsito. Sem isso, vira arma, que no Brasil mata mais de 200 por dia.

http://g1.globo.com/bomdiabrasil/0,,MUL1116075-16020,00-USO+ERRADO+DE+FAROIS+E+GRANDE+PRAGA+DO+ASFALTO+BRASILEIRO.html

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6