Revolta

O Peugeot 208 foi rebaixado na avaliação de impacto lateral do LatinNCAP, de quatro estrelas para duas. Os motivos:

- A metodologia ficou mais rígida
- A versão testada agora é a vendida no Brasil, QUE POSSUI MENOS REFORÇOS ESTRUTURAIS.

Até quando essas porras dessas montadoras vão ficar nos tratando como gente de segunda classe? Até quando os carros vendidos no Brasil serão piores, mais fracos, mais frágeis, mais toscos, menos equipados que no exterior? Porque os argentinos têm dezenas de modelos à disposição nos show rooms que no Brasil, economia maior e mais desenvolvida, não existem? Porque ao sair na rua vemos um mar de carros iguais até na cor, e não a diversidade de modelos presente no resto do mundo?


É muito, mas muito difícil gostar de carros no Brasil. 

Comentários

Anônimo disse…
Pq este é um país de merda, com gente idem.
Anônimo disse…
A explicação para termos pouca variedade de carros é simples: não temos rodovias decentes, não temos combustível decente, a carga tributária é alta.
Um carro para vir para o Brasil precisa passar por uma "tropicalização". Então o fabricante pensa: compensa gastar um dinheiro a mais para erguer a suspensão (o Golf alemão que um colega de trabalho comprou teve a suspensão erguida em 15mm pela VWB), tratamento anti-corrosão por conta do etanol compulsório na gasolina? Não. É por isso que temos poucos modelos de carros.
Quanto à pouca variedade do cores, deve-se ao fato de que quem compra um carro já pensa na revenda. E como os vendedores falam, "ninguém vai comprar um carro usado vermelho; leva o prata que é garantido".
O Brasil não é um país de merda. É reflexo do seu povo. Se quer mudança, preste bem atenção no seu voto. E não adianta deixar de votar, porque sempre alguém será eleito.

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática