Bem feito

A reportagem no blog UOL Carros explica bem: a Peugeot começa a fabricar no Rio de Janeiro o "carro de sua vida", o 208. Servirá para combater quatro grandes fracassos de venda: a picape Hoggar, a perua 207 SW, o sedã 408 e o grande 508, embora este último nunca fosse vender muito mesmo.

A petição de miséria da Peugeot deve-se a uma única decisão estúpida lá atrás: inventar uma aberração chamada 207 (na verdade, 206,5) ao invés de faz aqui o 207 de verdade. Tivesse feito isso e a empresa teria capitalizado o carisma e qualidades dinâmicas do 206, carro bom de vendas. Mas não, decidiu economizar uns trocados fazendo aquela monstruosidade e agora esta aí, obrigada a fazer o 208 tal e qual o europeu sob pena de se tornar irrelevante no mercado.

Que sirva de aviso para todos idiotas do financeiro das montadoras, em busca de bônus. Pensem antes de sugerir bobagens como essa.

E uma puxada de orelha especial na Quatro Rodas, que na época vestiu a camisa da Peugeot, defendeu o 206,5, e também segue rumo à falência, se não financeira ao menos editorial, com um monte de repórteres de quinta categoria.

Comentários

Anônimo disse…
A Autoesporte também...
Anônimo disse…
Tem um problema muito grande em seus comentários:
eles são feitos somente uma vez por mês...
escreva mais...
Um abraço
Fábio Paranaíba
Anônimo disse…
Pois é! A quatro rodas (que o povo da web chama de quatro patas) por ex.: não conseguem nem publicar as relações de marcha -e não menos importante a rel. do diferencial (para termos uma idéia se o conj. é curto ou longo); nem conseguem, ao menos publicar a rpm @ 100km/h em última marcha. Essa é a realidade dessa publicação. Mas os leitores tem sua parcela de culpa -pois nunca reclamam de nada!!! (E eles então resumindo o que já estava por demais resumido...)
Gde abs, Dub.

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6