Uma boa: Sandero automático

Sagaz essa ideia da Renault de oferecer um câmbio automático de verdade no Sandero. E como o que tinha na prateleira era o do Mégane, é um câmbio legal, com quatro marchas bem escalonadas e mesmo opção de troca manual. Bem melhor do que os automatizados que vemos por aí. Nestas circunstâncias, um Sandero automático a R$ 46 mil é uma ótima opção para quem quer descansar o pé esquerdo.

O fato das francesas oferecerem opções genuinamente automáticas em seus carros pequenos, adaptando pouca coisa, deixa no ar a pergunta das outras montadoras não seguirem o mesmo caminho. A Fiat não tem automáticos de verdade na linha, o que complica essa adaptação, mas a GM bem que poderia trazer o automático para a Meriva, e a Ford para a linha EcoSport 1.6 e Fiesta – sem falar no Fiesta mexicano, este que não emplaca de jeito nenhum por conta do câmbio manual.

Mais absurdo ainda talvez seja a Volks, que tem aquele excelente automático de 6 marchas na prateleira que, com uns ajustes, cairia como uma luva pelo menos na linha Polo e na SpaceFox.

Conforme o mercado brasileiro fica mais exigente, a diferença entre um automático e um automatizado será cada vez mais argumento de venda.

Comentários

Braga da Rocha disse…
A lamentar apenas que a Renault não ofereça o câmbio automático na versão mais cara do modelo, que é o Sandero StepWay. Parece um defeito de concepção imaginar que uma versão dita 'aventureira' seja incompatível, em termos de mercado, com o câmbio automático.

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática