Etanol: é bacana

Desde já vamos deixar claro que somos contra o aumento do etanol anidro na gasolina, dos 25% atuais para 27,5%. A quantidade atual é a máxima determinada por lei, e uma alteração para cima pode trazer problemas aos carros a gasolina.

Mas não é por isso que deve-se bater sem dó no etanol, como se tem feito, e muito menos associar o nome etanol a qualquer homossexualismo ("etanol é coisa de viado", algo totalmente sem noção). Etanol é o nome internacional do antigo álcool, e reclamar disso é como reclamar que Brasil se escreve com Z em inglês: apego a coisas sem importância.

A produção de etanol dá emprego a milhares de pessoas no interior do Brasil. É a chance que muita gente tem de melhorar de vida, e sem precisar inchar ainda mais as favelas de uma cidade grande em busca de oportunidades.

As usinas de etanol produzem eletricidade com a queima do bagaço da cana, ajudando a gerar energia limpa e renovável. 

Canaviais representam menos de 5% do uso das terras agrícolas do Brasil (pecuária usa mais de 40%), e tem sido cultivados em determinadas regiões do Brasil continuamente a quase 500 anos, demonstrando que não destroem o solo.

Por fim, é a única alternativa viável hoje em termos de combustíveis sustentáveis para transporte. O petróleo está ficando cada vez mais raro, mais difícil de extrair (não é à toa que o preço do barril tem se mantido acima de 100 dólares há algum tempo, recorde histórico), e carros elétricos tem os problemas de reciclagem da bateria e seus metais pesados após o uso, e também de saber de onde vem a energia no caso de elétricos carregados em tomadas: não é muito ecológico se a energia vem de uma usina a carvão, certo?

Etanol é a única experiência de combustível líquido sustentável que deu certo no mundo. Existisse em todo o planeta, e talvez a preocupação com o aquecimento global não fosse tudo isso. E nego vem exclamar do combustível porque obriga as montadoras a adaptarem os motores no Brasil e o cara fica putinho porque não pode pegar um Mustang emprestado com a Ford.

Sério.

Comentários

Anônimo disse…
Realmente tem umas ideias lá meio estranhas. A começar por não aceitar as mudanças na ortografia. É tudo igual menino mimado. Dizem que Kombi é segura, pois andaram x anos com ela e não morreram e que carro não foi feito para bater. Agora pergunta nesses x anos quantas vezes bateram com a tal Kombi de frente. Sem falar que nãopode mais criticar nenhuma marca de carro ou preço exorbitante de Corolla Altis mais caro que Audi A4.
Anônimo disse…
É É bem legal mesmo, principalmente para os usineiros, maldita Gasolina E25 dos infernos!!!!

ISM
Dubstyle disse…
Claro ISM. Aproveita pra respirar bastante poluição dos carros a gasolina enquanto xinga.

Pois é Anônimo, coisa de gente antiga, que não quer aprender coisas novas. Faz igual há 20 anos. E nem dá pra mudar muito, pois se mudar perde o jabá.
Anônimo disse…
AHAM... Querem que eu use carros no Etanol, comecem lancando motores que queimem apenas etanol...

ISM

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6