Novos GM

A GM do Brasil aproveitou o lançamento do Tracker para se reapresentar institucionalmente. Mudou o slogan - agora é Find New Roads - e começou a bater bumbo pelo fato de ter lançado 10 novos carros em 20 meses, ou algo assim. O M4R reconhece que a linha da GM melhorou muito em vários quesitos, mas talvez nem tanto assim. Vejamos:

Celta e Classic estão fazendo hora extra há anos. Apertados, posição torta de dirigir, câmbio impreciso, poucos equipamentos, já não deveriam estar mais entre nós.

Onix e Prisma, por sua vez, ganham destaque. Design atualizado, bom espaço interno, bom comportamento e um pacote de equipamentos muito interessante, com destaque para a central multimídia MyLink e o câmbio automático de seis marchas disponíveis nas versões de topo - o câmbio é um tapa na cara das montadoras que empurram essas porcarias monoembreagem nos carros pequenos e também fala grosso com o HB20 e seu câmbio de quatro marchas.

O Cobalt é uma alternativa válida no segmento dos sedãs simples com espaço de carro médio, com Logan e Versa. É feio e o acabamento é excessivamente simples, mas o rodar é muito equilibrado.

A Spin substituiu dois bons envelhecidos produtos por somente um, com amplo espaço para cinco pessoas e um certo aperto para sete. É horrivelmente feia e mal-acabada. Difícil entender porque as concorrentes não se animam de oferecer algo no segmento - Volks e Ford têm produtos prontos na Europa. Enquanto a Spin estiver sozinha na categoria, não adianta reclamarmos; a verdade é que só a GM atende esse nicho (com a ressalva que a Livina compete na categoria de minivans com cinco lugares).

O Cruze é um bom sedã médio, mas que precisava de um algo a mais para se destacar. Sem um motorzão, ou câmbio de dupla embreagem, ou suspensão independente, ou um pacote de equipamentos fora do comum, fica difícil competir com os japoneses. Já o hatch tem se dado bem, nadando de braçada contra a desconfiança geral em relação ao 308 (por ser francês), a falta de bravura do Bravo (e um câmbio automático), e a velhice do Golf. O Focus Mk3 vem aí para contestar tudo...

A Captiva não vingou. Custasse uns 20 mil a menos e ia vender como água.

S10 e Blazer são excessivamente caras e não são melhores que a concorrência. Só que, no interior, a quantidade de concessionárias GM é um forte argumento a favor.

Por fim, o Camaro. Mesmo problema da Spin: enquanto a Ford ficar com idiotice de não trazer o Mustang, o Camaro é o que temos. E por isso, já vale nosso apoio.

A nova linha da GM não é a oitava maravilha do mundo, mas acertou mais do que errou. E merece méritos por oferecer opções que a concorrência insiste em ignorar.

Comentários

Anônimo disse…
Aparentemente vcs voltaram a postar com certa regularidade, né?
Isso é muito bom para nós, leitores!
Espero que continuem assim, trazendo textos de qualidade e sem as algemas vistas habitualmente!
Obrigado!
André disse…
Dub, excelente review da GM. Quem diria que mereceria bons comentários... E merecem (alguns). Abraço.
Anônimo disse…
GM nunca mais, nunca mais mesmo,...

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6