Quase no pódio

Antes de falar do dossiê Europa, um pouco sobre a chegada da Hyundai entre as quatro grandes.

Em primeiro lugar, isso mostra que o brasileiro reconhece, sim, bons carros. O brasileiro sabe ver um carro bem acabado, moderno, com bons motores, bom design. É para jogar pelo ralo a teoria da GM de que brasileiro compra qualquer porcaria, então podemos vender Astra com mais de dez anos de produção, podemos vender Agile com acabamento ridículo, podemos usar a plataforma do Corsa de 94 até o ano 2500. O carro mais barato da Hyundai custa 50 mil. Passou da hora das montadoras acordarem e começarem a trazer pro Brasil carros decentes de verdade.


Em segundo lugar, quanto dessas vendas é representado por aquele caminhãozinho da Hyundai que vende como água?

Em terceiro lugar, fico muito, mas muito triste que a ultrapassagem tenha sido feita em cima da Ford, que, com o novo Fiesta, Focus e Fusion, é a montadora tradicional que mais oferece as melhores opções ao brasileiro.

Em quarto lugar, também fico triste que a política de lucros absurdos feita pelas montadoras aqui tenha permitido que uma importadora, trazendo seus carros da Coréia em contêineres, tenha atingido tal destaque perante empresas que empregam muito mais brasileiros. Mas a culpa é delas mesmas. O i30 não teria chance num mercado competindo com Focus (especialmente se o modelo atual tivesse chegado antes, já flex), Golf VI, Brava, Astra europeu.

Em quinto lugar, mérito da Hyundai e de sua importadora que, sem cair na vala comum dos lucros absurdos, vêm se beneficiando de carros cada vez melhores para impor-se no mercado. Infelizmente, com a manutenção da Tucson no mercado e agora sua produção nacional, não parece que a Hyundai seja imune às práticas clientelistas que assolam o mercado.

Comentários

Zema disse…
Eu não entendi direito. A Hyunday passou a Ford nas vendas em setembro? Ou você está computando apenas os carros com preço acima de 50 mil?
arturdesouza disse…
dub, concordo com vc, apenas acho que a grande maioria dos brasileiros continuam não entendo de carro, agora é preciso fazer uma distinção: se estamos falando dos consumidores de carros populares a visão é que air bag e abs são supérfluos, agora conforme vc pode pagar mais por um carro seu nível muda e sua referência tb, aumenta o seu grau de exigência e o que aconteceu é que grande parte desse público começou a se questionar se vale a pena pagar o dobro do valor pelas grandes marcas (accord e camry e omega) e viram o azera como uma opção excelente. Quando nossa "régua" aumenta vc não se contenta com menos.Fazendo um paralelo disse que eu falei serve para a política, porque os governantes não investem em educação? porque um povo instruído questiona e passa a exigir mais deles. É é exatamente isso que eles não querem!! mas coisas boas tem acontecido por exemplo a ficha limpa que foi um apelo popular.
Pedro disse…
Dub, faço algumas observações:

O imposto de importação é barreira menor do que parece para os produtos sul-coreanos. O won é muito desvalorizado, portanto acontece algo semelhante ao que acontece com os chineses: na prática, o imposto de importação acaba sendo reduzido em relação à concorrência e o produto entra no Brasil com valor competitivo;

A Hyundai tem bons produtos, mas exceto pelo i30 e Azera, que mantém preços na média do mercado, fez o favor de se tornar uma nova Honda em política de preços. Talvez pior, pois nem a Honda vende um SUV 2.0 manual sem airbags laterais por 90 mil reais;

Vale a ressalva ao pós-venda lastimável da CAOA.

* * * * *

Artur,

Você realmente acredita que o consumidor esteja mais exigente? Nos EUA, seis airbags são de série em todos os carros vendidos. No Brasil, ainda existem médios sem airbag frontal (Golf, o Vectra ganhou apenas na linha 2011) e a maioria dos médios sequer tem airbags laterais, mesmo como opcional.

A própria Hyundai prova que o consumidor está pouco se lixando para segurança: i30 com 6 airbags, apenas na versão top. E mais absurdo: Tucson "old" sem ABS por 75 mil, Tucson "ix35" sem airbags laterais por 90 mil.
Dubstyle disse…
Pedro, excelente ressalva sobre a moeda sul-coreana. É de fato um facilitador para carros daquele país e também para os chineses.

Sobre a política de preços, acredito que na verdade é o ix35 que vem com muita sede ao pote. Veracruz e Santa Fe ainda são bem mais baratos que os concorrentes, bem como o Azera. O i30 está na média do mercado.

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6