India in Box

Os carros chineses levaram uma voadora no peito, verdadeiro tapa na cara com o Inovar-Auto. As alíquotas de importação foram para o espaço sideral (já estavam na estratosfera) e a solução para manter competitividade do Brasil seria montar fábrica por aqui. Foi o caminho escolhido pelas alemãs BMW, Audi e Mercedes por exemplo, assim como a Land Rover.

Fica aqui o raciocínio paralelo do porque as chinesas não tomaram o mesmo rumo. Falta de habilidade na negociação com o Brasil? Retração econômica do país? Confiança na expansão em outros países, especialmente no mercado interno da própria China? Boas perguntas. Mas, como disse uma pessoa num comentário por aí: “Deus me livre. Um carro sino-brasileiro junta o pior de dois mundos, carro chinês com assistência técnica brasileira”.

Fato é que neste momento as chinesas perderam a vantagem em preço. Sues carros eram altamente competitivos, agora não mais. As opções das fabricantes tradicionais se aproximam em conteúdo e valor, também devido ao não repasse de alguns aumentos e inflação. O JAC J3 parecia literalmente um negócio da China, hoje já nem sabemos mais quanto custa.

Mas se você quer ainda fazer um negócio da China existe uma opção que não é Chinesa, mas de dois países muito próximos: Japão e Índia. Sim, estamos falando do Etios.

Você leva um sedã 1.5 pra casa por pouco mais de 40 mil. Nesta faixa os concorrentes estão nos 1.0, e começando as linha superiores em motorização, seja 1.4 ou 1.6. Os equipamentos são parecidos, mas o Etios entrega espaço interno vastamente superior, revisões muito baratas com a confiabilidade da Toyota e ainda por cima um acerto de dirigibilidade muito interessante. O preço a se pagar é a feiúra extrema, tanto externa quanto interna com aquele painel central ridículo.

Porém, o negócio da China é isso mesmo: o comprador abre mão de alguma coisa para recolher outros benefícios. Nos carros chineses abre-se mão do status, da ampla rede de concessionárias, e em alguns casos do design pois tem uns bem feios. Mesma coisa no Etios. Fosse você um taxista, ou fazendo carreira no Uber, um Etios faz bastante sentido.

Caso contrário, se espaço não for problema, por favor compre qualquer outro carro e poupe os olhos dos conterrâneos.

Comentários

Anônimo disse…
Quando lancarem uma versao automatica (CVT por favor) compro no mesmo dia!! E o mais racional e possivel,no brasil (Sim minusculo) atual.
Unknown disse…
É tão complicado mudar um painel? Se a Toyota fizesse isso tenho a impressão que o Ethios seria um dos maiores sucessos do mercado.

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6