M4R: dez anos

O primeiro post deste blog é de 21 de março de 2003. 

Uau.

Se me dissessem que ia durar dez anos, não teria acreditado na época. Também não teria acreditado que o layout permanece igual durante todo esse tempo. E provavelmente não teria nem começado se soubesse que, dez anos depois, este blog estaria num lugar muito parecido com o que começou, ao menos financeiramente.

A grande conquista foram os leitores. Alguns assíduos, outros menos, com certeza quase todos decepcionados com a falta de atualizações. A vocês, um agradecimento sincero.

É um blog amador, escrito de forma caseira, que nunca gerou um real sequer de lucro. O que é bom – permite escrever nossa opinião tal e qual, sem o rabo preso com ninguém – e ruim – se estamos viajando, ou ocupados, o número de posts despenca.

Como parte deste post comemorativo, explicaremos um pouco mais as andanças deste blog ao longo dos anos.

Tentativas de ganhar dinheiro
Durante algum tempo, especialmente pelos idos de 2008-2010, havia no ar uma esperança de fazer este blog ganhar dinheiro. Como? Pela parceria com algum portal. Imaginem o M4R hospedado no UOL. O número de visitantes ia quadruplicar! Com isso poderíamos tentar anúncios, alguma coisa para profissionalizar.

Mas nunca fomos chamados e, verdade seja dita, nunca empenhamos esforços sérios de sermos notados por algum portal. Então vamos ficando por aqui.

Relacionamento com montadoras
É preciso ter cuidado com isso. O Best Cars, site que admiramos pela honestidade e competência, não testa um GM desde 2008, por conta de avaliações críticas (e verdadeiras) dos carros feitos pela empresa. Então independência num site pequeno (e o BCWS nem é pequeno) tem o seu preço. Ou você pode ser um vendido, como a revista que concordou com a decisão da Peugeot de não vender o 207 verdadeiro por aqui. Tudo pelos anúncios.

Pelo nível de nossos posts, os leitores podem perceber que não recebemos jabá de ninguém – embora muitos jurem que somos comprados pela VW, ou pela Fiat, ou pela Honda...

É um mundinho fechado em si mesmo. Os assessores de imprensa das montadoras só dialogam com os jornalistas do setor e vice-versa. Vá um assessor de outra indústria tentar entrar no campo automotivo; é muito difícil. E aí fica aquele clima de camaradagem idiota, com os jornalistas achando que disputar uma bateria de kart com tudo arranjado por uma montadora não é jabá, imagina, que é isso. 

Vejam só. Redação é um ambiente pobre. Jornalista é uma profissão mal paga por definição. Aí a montadora oferece um convite para viajar para o Salão de Detroit / Frankfurt / Paris / Tóquio com tudo pago. O cidadão, na pessoa física, não consegue nem viajar até Santos. É lógico que ele vai e é lógico que ele vai lembrar “bem” da montadora depois. Já vi repórter de jornal ser proibido de viajar para cobrir um evento porque, nas palavras do editor, “você só viaja, fica no bem-bom, vou dar essa viagem para um colega que está ralando em outra editoria”.

Ou tem o jornalista que arrumou namorada nova, quer impressionar a gatinha, e pega um Audi / Mercedes emprestado sob a alegação que vai testar. Ou então vai viajar com a família para uma pirambeira e descola um Land Rover. Jornalistas do setor normalmente não têm carros de uso pessoal, usam os de teste para tudo.

Assim como em qualquer profissão, tem muita gente honesta, ética, a fim de fazer um bom trabalho. 

Mas tem muita coisa com as quais não concordamos.

A indústria automotiva
Melhorou bastante, de forma geral.

Na Fiat, o Palio atual é melhor que o antigo; Uno e Punto são produtos novos e bem elaborados; o Bravo substitui o Stilo com folga.

Por sua vez, Mille e as encarnações antigas de Palio e Siena já poderiam ter desaparecido. A Palio Weekend merecia ter sido modernizada, assim coo a Strada. E o Linea realmente não substituiu o Marea à altura.

Na VW, o Gol está em sua melhor encarnação; o Voyage não existia, Fox e Spacefox atuais são melhores que os do lançamento, e Jetta e Jetta Variant tuam num segmento que a montadora não tinha expressividade naquele ano.

Por sua vez, o Polo e o Golf já mereciam ter sido substituídos. Ambos sobrevivem desde aquela época com pouco mais que face lifts.

Na GM, revolução total. O que era uma trapizonga de modelos mal ajambrados deu lugar a produtos muito interessantes, como Onix, Prisma, Sonic, Cruze, S10 e mesmo a caríssima Trailblazer.

Só o Celta e o Classic que estão fazendo hora extra. E o Agile, embora bem mais recente.

Na Ford, destaque para os modernos Fusion, Fiesta e Ranger. O Focus é moderno e adequado, mas o Mk 2,5 atual de fato não substituiu o Mk 1 à altura. E o EcoSport é moderno, atualizado... mas em nossa opinião ficou muito feio.

Já o Ka deixou de ser um pocket rocket espetacular para se tornar um carro feio e menos interessante de dirigir. E o Fiesta Rocam perdeu o ar de novidade e virou carro barato.

Evoluções também em Corolla, Fit, Civic (este uma ruptura com o modelo daquela época), Duster.

E uma crítica. Impressionante como os carros ficaram caros. Comprava-se em 2002 um Focus Mk1 1.8 16v com 37 mil reais, valor de Gol 1.0 completo hoje. Em que pese a inflação, ainda assim é muita coisa...

As melhores
Por fim, em clima de lembrança, algumas boas matérias do passado. Não nos atrevemos a dizer que são as melhores, mas sem dúvida merecem destaque.

A série “Qual o melhor carro para São Paulo”: 
http://4rodas.blogspot.com/2004/01/qual-o-melhor-carro-para-so-paulo-este.html

Junho de 2006: quando o M4R ressuscitou.
http://4rodas.blogspot.com/2005/06/voltei-galera.html

30 coisas indispensáveis no meu próximo carro: pauta compras até hoje
http://4rodas.blogspot.com/2005/09/30-coisas-indispensveis-no-meu-prximo.html

Um título excelente
http://4rodas.blogspot.com/2006/04/viao-area-dos-ricos-incompetentes.html

Nosso primeiro comparativo
http://4rodas.blogspot.com/2006/12/comparativo-celta-life-10-vhc-x-palio.html

Breve comparação:
http://4rodas.blogspot.com/2007/12/staraya-ruskija.html

Na época, um dos poucos lugares para se encontrar um teste desse carro era aqui:
http://4rodas.blogspot.com/2008/09/teste-hyundai-azera-33-v6.html

O teste inesquecível:
http://4rodas.blogspot.com/2010/11/teste-audi-r8-52-spyder.html

O mais visto de todos os tempos:
http://4rodas.blogspot.com/2009/07/automatico-x-automatizado.html


Comentários

Andre disse…
Sem me gabar, mas esse post do automático vs automatizado foi pedido por mim :-)

Agora gabando vc, Dub, parabéns de verdade. Sou daqueles que dá uma passada mais de uma vez por semana pra ver se tem post novo. Um prazer ler vc.

Parabéns muito merecido. E continue ácido!

Andre
Parabéns pelos 10 anos. Blog simples, sincero e com qualidade! Ganha de mil em muitos blogs famosos e "especializados"..
Que venham novas postagem e mais 10 anos.
moraesvt disse…
Parabéns pelos 10 anos!
Descobri o blog há coisa de 3 anos e deste então sempre passo por aqui.
Não dou a mínima para a aparência dele. O que me interessa é o conteúdo, e isso ele é bom. Que continue assim.
Minha única crítica é a mesma de todos. Atualize-o mais!
Abraços!
MetalWe disse…
Parabéns pelos 10 anos!
O MR4 é leitura obrigatória para mim.
Espero que continue o bom trabalho por muitos e muitos anos.

Abrax
Vinnas disse…
Acesso sempre que posso, os melhores textos e opinioes, disparado!

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática