Continuando...

Ajuste elétrico dos bancos – Fazem muito sentido se vierem com memórias, pois assim o carro pode ser usado por mais de um motorista e os ajustes ficam guardados para fácil mudança. Mas mesmo sem memórias são úteis, para os pequenos ajustes do dia-a-dia, como por exemplo quando se está com calçados de solado mais grosso ou mesmo a diferença de altura que os seres humanos passam todo o dia (de manhã somos mais altos). E também são úteis quando se quer baixar totalmente o encosto.

Alerta para atar cintos – Concordamos com o editorial. Aquele modelo que apita se você tão somente ligar o carro sem o cinto atado é simplesmente insuportável. Preferimos o sistema que acende a luz espia, mas o alerta sonoro só aciona acima de 20 km/h.

Alerta para cansaço do motorista – O motorista deve ter consciência de quando está cansado e parar. Simples assim.

Assistente para estacionamento – Duvidamos que sejam mais eficientes do que uma baliza bem-feita. Parece algo melhor para mostrar aos vizinhos do que usar na vida real.

Câmera traseira para manobras – As que vimos distorcem tanto as imagens que ficamos na dúvida se são realmente úteis. Achamos válidas, mas desde que combinadas ao sensor de estacionamento. Somente câmera, sem sensor achamos pouco.

Destravamento por senha – Não é terrivelmente útil, mas pode-se pensar em algumas situações de uso, como querer deixar a chave dentro do carro ou então passar a senha para alguém ter acesso e buscar algo que esqueceu sem precisar emprestar a chave. Mas não pagaríamos um centavo a mais por isso.

Espelho adicional para ponto cego – Espelho bom é espelho biconvexo. Todo o resto: convexo, plano, com espelho adicional, é pior. Adendo para o sensor de ponto cego: é útil, mas usá-lo em São Paulo é ficar enlouquecido com a quantidade de motos que ele vai sinalizar. A luz vai pedir aposentadoria por insalubridade com uma semana de uso...

Estepe temporário ou de medida diferente dos demais pneus – Estepe temporário achamos válido, desde que represente real economia de espaço no porta-malas. Perde-se em dirigibilidade até poder consertar um pneu, e por isso achamos esta solução pior do que ter um pneu de medida real, de preferência com roda igual às em uso. Agora, realmente essa mania de colocar um estepe de 16” num carro que usa roda 17” não dá pra entender: perde espaço igual e prejudica a dinâmica do carro. Solução porca.

Massagem no encosto – Testamos pouco e achamos muito suave para fazer algum efeito. Também ficamos preocupados pensando que aquilo poderia quebrar se fosse muito utilizado.

Porta-copos – Aqui somos bastante contrários ao publicado no Best Cars. Achamos porta-copos muito úteis sim, para levar copos após passar numa lanchonete, ou ainda levar garrafas de bebidas para acompanhar numa viagem longa. Conhecemos pessoas que têm o hábito de sempre deixar uma garrafa de água no carro, para eventual sede em algum trajeto. E mesmo que não tenham uso, viram úteis porta-trecos.

Pneu que roda vazio – Nunca testamos, e entendemos que ainda é uma solução em estudo, mas dado que calibrar pneus é um enorme anacronismo em pleno século 21, uma solução nesse sentido tem tudo para ser útil.

Retrovisor interno fotocrômico – No M4R sempre defendemos este item, pelo fato de constantemente se ajustar à intensidade da luz que vem atrás e desta forma ajudar o motorista a não ser cegado pelos inúteis que andam com faróis altos acesos sem motivo, ou com eles desregulados (especialmente os que desregulam os neblinas de propósitos para usá-los e ficar lindão). Só achamos que a regulagem de escurecer deveria ser mais agressiva, pois não protege desses males o tanto quanto deveria.


Televisor e toca-DVDs – Bênção para entreter as crianças no banco traseiro. Na frente, têm utilidade duvidosa caso só possam ser vistos com o carro parado. É mais uma das leis idiotas: a intenção é boa, mas na prática o que se vê são pessoas (muitos taxistas) com sistemas after-market funcionando o tempo todo, sem fiscalização. Deveria ser liberado, mas como infelizmente o motorista médio já se atrapalha com volante, câmbio e pedais, é melhor proibir mesmo.

Comentários

Anônimo disse…
dub, estou entre um corolla 2003 (modelo brad pitt) ou modelo 2009. vou comprar um carro usado. o mais importante para mim é espaço interno e suspensão a mais macia de todos. estou querendo a versão seg que é a mais completa e pouca coisa mais cara. estou com receio de fazer a escolha errada entre esses modelos, uma coisa defini vai ser um toyota. abs arthur

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6