A linha GM

Caros leitores, Feliz Ano Novo!

Começamos 2014 atendendo a pedidos de avaliação da linha nova GM. Já tivemos contato com todos os carros, mas com a maioria não pudemos fazer uma avaliação extensa o suficiente para publicar em formato de teste. Aqui ficam nossas primeiras impressões:

Onix / Prisma
É uma das melhores opções entre os pequenos de entrada, juntamente com o HB20 e o Gol / Voyage. Os motores 1.0 e 1.4 estão em bom estágio de maturidade, o que significa uso sem sustos, curva de torque, potência e consumo honestos. O acabamento é bom, a GM é boa de interiores, mas é preciso tomar cuidado com a montagem: muitas unidades vêm com falhas neste ponto. Destaque para a central MyLink (para usá-la em totalidade é necessário ter um plano de dados robusto no celular, já que ela usa os aplicativos do aparelho) e para o câmbio automático de seis marchas, exclusivo na categoria. Se a opção for por dois pedais, os GM estão um passo à frente dos HB20 e quatrocentas mil maratonas à frente do monoembreagem que a VW insiste em empurrar.

Cobalt
Feio por fora, bonito por dentro. O design externo do Cobalt é inspirado no 300C, sedã grande da Chrysler que fez fama pela sua “cara de mau” e “aura de carro de gângster”. A “interpretação” GM até que foi bem nas laterais e na traseira, mas a frente ficou mesmo feia que dói.

Só que por dentro o Cobalt é um carro bastante honesto, com o uso de tecidos e revestimentos agradáveis, amplo espaço interno e um ótimo acerto de suspensão, favorecido pelo porte do carro. A versão 1.4 tem desempenho suficiente somente para a cidade, e com pouca carga. Já a 1.8 leva melhor, embora este motor da GM esteja abaixo da média em termos de consumo, desempenho e refinamento. O câmbio automático de seis marchas continua superior à média da classe – especialmente considerando que o novo Logan não vem com câmbio automático, ao menos por enquanto, mostrando que a Renault não aprendeu com o Mégane sobre como não lançar um carro.


Cruze
O Cruze, tanto o hatch como o sedã, não é um carro ruim em si. Acabamento na média, montagem na média, motor na média, espaço na média, equipamentos na média, desempenho na média, conforto na média, câmbio acima da média. O difícil é justificar porque comprar um Cruze e não um Civic. O C4 Lounge também está interessante, embora existam restrições compreensíveis a carros franceses. Já o hatch se destaca mais, inclusive pelo belo desenho, mas com Focus Mk3 e Golf 7 fica difícil a opção pelo GM. Vale se você conseguir bons descontos no preço – vendedores GM costumam ser agressivos.

S10 e TrailBlazer
Não vamos opinar pois não tivemos contato com estes ainda. Fica a ressalva para o preço extremamente alto, especialmente da SUV.

Captiva
Um dos melhores GM na época de “vacas magras” da empresa. Agora está em fim de linha e só é oferecida na versão 2.4 que não faz jus ao carro. O V6 era bem interessante. O acabamento é muito bom, o espaço idem, mas o preço sempre foi um tanto salgado e alguns equipamentos como navegador fazem falta e entregam a idade do projeto.

Camaro

E fica a ressalva: a Ford não traz o Mustang; a Fiat não traz os Alfa; a VW não traz o Scirocco. Mas a GM traz o Camaro. Palmas.

Comentários

Anônimo disse…
Olá Dub, compartilho com você as melhores opções entre os pequenos de entrada. Estou exatamente nessa dúvida. Onix 1.4. HB 20 1.6 e Gol Rallye. Preciso decidir esse mês, no máximo em Fevereiro. Gustavo.
Thiago disse…
Faltou o Chevrolet Sonic. Qual a opinião de vcs sobre ?
Anônimo disse…
Atualização a cada 20 meses...
Anônimo disse…
Olá Dub, estamos cuiosos para ler suas avaliações sobre a nova linha GM, uma sequencia de testes da linha. De sua parte já dá pra acreditar na volta de uma linha quase toda de bons carros da antiga GM dos anos 90 ?

Postagens mais visitadas deste blog

Comparativo: Celta Life 1.0 VHC x Palio 1.0 Fire

Teste: Chevrolet Zafira Elegance 2.0 automática

Teste: Hyundai Azera 3.3 V6